Israel avisa habitantes para deixarem o norte de Gaza

O exército israelita deu hoje um ultimato à população de várias localidades do norte da Faixa de Gaza para que abandonem as suas casas até às 12:00 locais (10:00 de Lisboa) porque a zona vai ser bombardeada.

Num panfleto lançado pelo ar e transmitido também por via eletrónica, o exército israelita adverte a população civil desses bairros que estão "avisados" e devem "ter o cuidado" de não estar na zona.

Segundo o panfleto, escrito em árabe, "o Exército tem a intenção de atacar infraestruturas terroristas a este de Al Atara e de As-Sultan e a norte do campo de refugiados de Yabalia.

O documento também dá instruções à população da direção em que devem procurar refugio: "a sul de Yabalia, a caminho de Shara Al-Faluja".

"A operação do exército será curta. Quem não prestar atenção a estas instruções, põe em perigo a sua vida e a da sua família", alerta a nota.

Fontes militares disseram que se trata de zonas de onde as milícias palestinianas estão a disparar foguetes.

"Do norte de Gaza disparam mais do que de outras zonas e, por isso, pedimos à população para a abandonar antes de expandirmos a operação", disse uma fonte militar à edição eletrónica do diário Yediot Aharonot.

A nova espiral de violência no Médio Oriente, que já provocou 162 mortos em seis dias, foi desencadeada após o sequestro e homicídio em junho de três jovens israelitas na Cisjordânia, um ataque que Israel atribuiu ao Hamas, seguido da morte de uma criança palestiniana queimada em Jerusalém por extremistas judeus.

Nenhuma vítima israelita foi reportada desde o início desta operação lançada por Israel.

A atual campanha militar é descrita como a mais mortífera desde outra operação realizada em 2012, uma operação alegadamente lançada para destruir a capacidade do movimento Hamas de lançar 'rockets' contra Israel. O número de vítimas mortais foi então fixado em 177 palestinianos e seis israelitas no período de uma semana.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG