Governo português reitera "pleno apoio" a "solução duradoura" de dois Estados

O Governo assinalou hoje que Portugal reitera o seu "pleno apoio" a uma "solução duradoura" para o conflito israelo-palestiniano, com dois Estados "em paz e segurança", após a morte, no sábado, do ex-primeiro-ministro israelita Ariel Sharon.

Num curto comunicado, o Ministério dos Negócios Estrangeiros refere que "o Governo português apresenta as suas condolências à família de Ariel Sharon e às autoridades israelitas", lembrando que, "num momento decisivo para o processo de paz israelo-palestiniano, Portugal reitera o seu pleno apoio à solução duradoura de dois Estados, vivendo lado a lado em paz e segurança".

O ex-chefe do Governo israelita Ariel Sharon morreu no sábado, num hospital perto de Telavive, aos 85 anos. Sharon estava internado no hospital Tel Hashomer, em coma desde 04 de janeiro de 2006, e o seu estado piorou a 1 de janeiro último, quando registou problemas renais após uma cirurgia.

O funeral do antigo primeiro-ministro israelita vai realizar-se na segunda-feira numa cerimónia privada, no sul de Israel, segundo o canal 1 da televisão israelita.

No mesmo dia, será celebrado, no mesmo local, um ato oficial de homenagem com a presença de líderes políticos nacionais e estrangeiros.

Ariel Sharon será sepultado numa quinta onde vivia, e onde já se encontra sepultada a mulher, Lili Sharon.

De acordo com a mesma estação de televisão, os restos mortais do ex-governante vão ficar expostos hoje na Praça do Parlamento (Knesset) para que a população lhe possa prestar homenagem.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG