Estado Islâmico toma cidade fronteiriça de Kobani

Os 'jihadistas' do Estado Islâmico tomaram controlo de parte da cidade síria de Kobani, com elevado valor estratégico, junto à fronteira com a Turquia, depois de uma acesa luta com forças curdas.

Kobani tornou-se um campo de batalha estratégico entre o Estado Islâmico e os seus opositores, incluindo os Estados Unidos e os seus aliados árabes e ocidentais.

Ao tomarem Kobani, as forças do Estado Islâmico ficam com o controlo de um vasto território junto à fronteira com a Turquia.

Após entrarem na cidade, os 'jihadistas' travaram uma luta com os curdos, resultando numa fuga de centenas de civis em direção à fronteira, de acordo com o Observatório Sírio para os Direitos Humanos.

"Tomaram conta da zona industrial, Maqtala al-Jadida e Kani Arabane, no leste de Kobani, depois de combates violentos com as Unidades de Proteção do Povo Curdo", dotadas de menos homens e armamento, diz o Observatório.

Entretanto, as forças curdas ordenaram que a cidade fosse evacuada, resultando numa saída de cerca de 2.000 pessoas, descreve a AFP.

Num gesto de desespero, uma mulher que pertencia às forças curdas levou a cabo um ataque suicida a uma posição do Estado Islâmico em Kobane, no domingo, relata o Observatório.

Este é o primeiro caso conhecido de uma mulher curda a recorrer a uma tática habitualmente usada pelos 'jihadistas', destaca o organismo internacional.

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos relatou, hoje, a existência de violentos confrontos em Kobani, na fronteira com a Turquia, depois de os combatentes do Estado Islâmico terem invadido a cidade.

Nos confrontos com as Unidades de Proteção do Povo curdo, os 'jihadistas' foram obrigados a recuar, mas continuam na cidade.

O Observatório refere também que na zona sudoeste da cidade vários edifícios foram tomados pelos radicais islâmicos.

Aviões de guerra sobrevoaram o este e sudoeste da cidade, tendo sido registadas cinco explosões nas áreas de Kobani.

O Observatório não descarta a possibilidade de terem sido perpetrados ataques aéreos sem, contudo, identificar os seus autores, muito embora a coligação internacional liderada pelos Estados Unidos tenha, nas últimas semanas, bombardeado posições 'jihadistas' nos arredores de Kobani.

A ofensiva dos radicais provocou a fuga de centenas de pessoas para a Turquia.

Kobani é um dos três principais enclaves curdos da Síria e está limitado a norte com a fronteira turca.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG