Continuam bombardeamentos em Homs

O bombardeamento de dois bairros de Homs foi relatado pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos. Não terá havido vítimas mortais.

A cidade de Homs, no centro da Síria, foi hoje bombardeada durante uma hora pelas forças sírias, apesar do cessar-fogo em vigor, a poucas horas do Conselho de Segurança das Nações Unidas votar o envio de observadores para o país.

Este bombardeamento visou os bairros de Jouret el-Shayah e Qarabees e acontece dois dias depois da entrada em vigor do cessar-fogo negociado pelo enviado especial das Nações Unidas e da Liga Árabe para a Síria, Kofi Annan.

"Há algumas violações, mas não há combates [entre os rebeldes e as forças do regime] e o balanço de mortos caiu drasticamente. É globalmente positivo", disse o presidente do Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), Rami Abdel, citado pela agência France Press.

Ainda segundo o OSDH, as forças sírias mataram um civil em Dmeir, na província de Damasco,

O Conselho de Segurança das Nações Unidas vota hoje em Nova Iorque um projecto de resolução que prevê o envio, nos próximos dias, de uma equipa inicial de 30 observadores, devendo a missão de observação incluir um total de 250 membros.

Mas, a poucas hora da votação, a Rússia, principal aliado do regime de Bachar al-Assad, e os países ocidentais mantém um braço de ferro sobre o texto a votar, com Moscovo a recusar fixar demasiadas condições a Damasco.

Os países ocidentais exigem garantias de segurança para os observadores, liberdade de movimentos e confidencialidade das suas deslocações.

Por seu lado, a Rússia - que com a China bloqueou duas resoluções condenando a repressão do regime - quer suprimir o pedido de acesso "sem restrições" aos observadores e excluir a condenação das violações dos direitos humanos na Síria.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG