Conselho de Segurança condena ataque a embaixada britânica em Teerão

O Conselho de Segurança da ONU condenou hoje o ataque contra a embaixada do Reino Unido em Teerão e apelou ao Irão para que cumpra a obrigação de proteger pessoal e propriedade diplomática e consular no seu território.

O presidente em exercício do Conselho de Segurança, o embaixador português José Filipe Moraes Cabral, leu a declaração dos 15 países condenando "nos mais fortes termos" o ataque à embaixada britânica. Este ataque, referiu, "resultou na intrusão nas instalações diplomáticas e consulares, causando sérios estragos".

Lembrando que o país anfitrião está obrigado a proteger missões diplomáticas e consulares, o Conselho de Segurança expressou ainda "profunda preocupação com os ataques" e apelou "às autoridades iranianas para protegerem pessoal e propriedade diplomática". Dezenas de manifestantes atacaram, ocuparam e saquearam hoje a embaixada britânica em Teerão, exigindo o seu encerramento.

Os manifestantes, apresentados pelos 'media' estatais como "estudantes islâmicos", retiraram simbolicamente a bandeira britânica e substituíram-na pela iraniana, mostrando a tensão que se vive no país em relação a países ocidentais, com os quais o Irão mantém um diferendo sobre o seu controverso dossier nuclear. Também a Casa Branca já condenou o ataque, bem como a generalidade dos países ocidentais.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG