Centenas de pessoas concentradas na praça Tahrir

Centenas de manifestantes estão hoje concentrados na praça Tahrir, no Cairo, para protestar contra o resultado do julgamento do ex-presidente Hosni Mubarak, condenado no sábado a prisão perpétua, e dos seus chefes de segurança.

Alguns dos manifestantes dormiram em tendas ou ao relento naquela praça, onde no ano passado se concentrou a revolta popular que acabou por derrubar o regime de Mubarak.

"Tencionamos ficar hoje e possivelmente amanhã. Esperamos muito mais pessoas ao longo do dia", disse Omar Abdelkader, um jovem manifestante.

Cerca de 20 mil pessoas ocuparam a praça Tahrir no sábado após a leitura da sentença de Mubarak e do seu ministro do Interior Habib al-Adly, condenados a prisão perpétua pelo seu papel na morte de 850 manifestantes durante os protestos do ano passado.

No mesmo julgamento, seis chefes de polícia foram absolvidos da mesma acusação

Um advogado de Mubarak afirmou que a defesa do ex-presidente irá recorrer da sentença.

A sentença motivou protestos dentro e fora do tribunal, com manifestantes no Cairo, em Alexandria e em outras cidades egípcias.

"Muitas pessoas ficaram com a sensação, ao ouvir o veredicto, de que estávamos de volta aos dias do antigo regime", disse Feda Essam, estudante que se manifestava no sábado na praça Tahrir.

Os manifestantes erigiram um memorial com uma miniatura de um cemintério em tributo aos "mártires" da revolução.

"Mártires, não vos abandonaremos às mãos das conspirações do antigo regime. Em nome do vosso sangue, haverá uma nova revolução" podia ler-se numa faixa.

Já hoje de manhã, as sedes de campanha do candidato presidencial Ahmad Shafiq, que foi o último primeiro-ministro de Mubarak, foram atacadas em duas cidades, disse fonte dos serviços de segurança.

A sede de campanha de Shafiq no Cairo já tinha sido atacada na segunda-feira.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG