Ahmadinejad acusado de preparar abertura de cabarés

Um deputado ultraconservador acusou o Presidente Mahmoud Ahmadinejad de "abrir discotecas e cabarés" no país. A denúncia, feita de forma irónica, ocorreu durante uma diatribe contra o suposto laxismo do governo no que se refere ao véu islâmico.

"Em consequência de encorajamentos do Presidente Ahmadinejad, a situação do véu islâmico tornou-se desastrosa. Ahmadinejad e (o seu diretor de gabinete) Mashaie promoveram o uso das calças e de um casaco que nem chegam aos joelhos" das raparigas, denunciou Ali Motahari, citado pela agência noticiosa Fars.

O deputado não se conteve e avançou: "Eles [Ahmadinejad e Mashaie] autorizaram de facto a provocação sexual. Agora. devem pensar na abertura de cabarés e de discotecas".

Vários deputados conservadores reagiram, de imediato, às acusações de Motahari que classificaram de "injuriosas". Aliás, todos os anos e antes do início do verão, os ultraconservadores fazem questão de denunciar as jovens "mal veladas" [cujo véu não as cobre devidamente] e as jovens que têm comportamento considerados "não islâmicos". Estas denúncias são, normalmente, seguidas de uma operação policial de detenções de jovens. Desta vez, Ahmadinejad é apanhado na campanha.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG