Homem que radicalizou irmãos Kouachi é enfermeiro estagiário em Paris

Farid Benyettou apresentou-se às autoridades na quinta-feira à noite depois de ter entrado em contacto com a Direção-geral de Segurança Interna, não tendo ficado sob custódia.

Farid Benyettou, antigo mentor religioso da rede iraquiana de Paris e que radicalizou os irmãos Kouachi, trabalha como enfermeiro estagiário nas urgências do hospital Pitié-Salpêtrière desde dezembro, explicou ao Le Monde Bruno Riou, chefe daquele serviço.

O jovem, de 33 anos, foi retirado das urgências na sexta-feira de manhã "porque o Pitié recebeu feridos e familiares de feridos". "Foi uma medida preventiva para o proteger e proteger a ordem pública por causa a emoção que poderia causar a sua presença", disse Riou ao mesmo jornal, acrescentando que não conhecia o passado de Benyettou e que este termina a sua formação dentro de três semanas.

Condenado em 2008 a seis anos de prisão por associação criminosa relacionada com um rede terrorista, Farid Benyettou foi libertado em 2011 e começou a estudar no instituto de formação de enfermagem um ano depois, escreveu ontem o Le Parisien. O Le Monde adianta que a escola sabia das condenações de Benyettou desde o início.

Fonte judicial adiantou ao Le Monde que Benyettou se apresentou às autoridades na quinta-feira à noite depois de ter entrado em contacto com a Direção-geral de Segurança Interna, não tendo ficado sob custódia.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG