Grande festa anima hoje a capital alemã

A Alemanha celebra hoje os 25 anos da queda do Muro de Berlim com um programa que inclui Beethoven, exposições e uma versão de "Heroes", de David Bowie, por Peter Gabriel.

As comemorações oficiais decorrem junto à porta de Brandeburgo, lugar simbólico da divisão da cidade entre 1961 e 1989.

As marcas do muro foram recuperadas na sexta-feira com uma fileira de 8.000 balões, com cerca de 15 quilómetros, instalada sobre o traçado do Muro que durante 28 anos dividiu a cidade em duas, pertencentes a dois mundos diferentes.

Nas celebrações oficiais, dissidentes da ex-RDA evocarão a vida no Leste, bem como a noite de 09 de novembro de 1989, quando o Muro foi derrubado.

Hoje à noite, os balões serão desatados e libertados na noite, no céu de Berlim, ao som da 9.ª Sinfonia do compositor alemão Ludwig van Beethoven.

Os berlinenses poderão assistir, primeiro, a um concerto da orquestra da ópera de Berlim, sob a direção do maestro argentino Daniel Barenboim.

Música mais contemporânea preencherá o resto da tarde, que terminará com a atuação do ex-vocalista dos Genesis Peter Gabriel, que interpretará "Heroes", o hino que David Bowie gravou em 1977 junto ao muro, quando residia na então Berlim ocidental.

O veterano do rock alemão Udo Lindenberg, que compôs em 1983 "Sonderzug nach Pankow", canção em que gozava com o então líder da Alemanha oriental, Erich Honecker, estará também presente.

Dissidentes da ex-RDA evocarão a vida no Leste, bem como a noite de 09 de novembro de 1989, quando o Muro foi derrubado.

"A atmosfera de festa nessa noite era autêntica e incrível", descreveu o ator alemão Jan Josef Liefers, citado no comunicado.

Durante o dia, Angela Merkel inaugurará uma exposição no Memorial do Muro de Berlim.

Está igualmente prevista uma cerimónia paralela, na qual deverão participar o presidente do Parlamento Europeu, Martin Schulz, os prémios Nobel da Paz Mikhail Gorbatchev e Lech Walesa, respetivamente ex-presidente soviético e ex-dirigente do sindicato polaco Solidariedade que se tornou chefe de Estado da Polónia.

"Com estas celebrações, festejamos a revolução pacífica e a queda do Muro", sublinhou o porta-voz do Governo alemão, Steffen Seibert.

"Pensaremos nas muitas pessoas, corajosas e determinadas, que, com persistência, se manifestaram, tornando possíveis os felizes acontecimentos de 09 de novembro de 1989 e, em consequência, à reunificação da Alemanha", em 1990, acrescentou.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG