Funeral do rei da Arábia Saudita realizado em Riade

O funeral do rei Abdullah, da Arábia Saudita, realizou-se esta tarde numa mesquita de Riade.

Os restos mortais do rei, que morreu esta madrugada, foram cobertos com um pano amarelo, transportados num caixão para a mesquita Imam Turki e depositados no chão antes de um clérigo começar a oração, que se iniciou com a tradicional invocação 'Allahu Akbar' (Deus é grande).

A breve oração foi dita na presença dos membros da família real, incluindo o novo rei, Salman bin Abdul Aziz, e vários líderes de países árabes e muçulmanos.

De acordo com a agência AFP, um dos primeiros a chegar foi o vice-primeiro ministro do Omã, Fahd bin Mahmud al Said, que se fez acompanhar de uma delegação de alto nível, seguido dos emires do Kuwait, o xeque Sabah al Ahmad al Sabah, e do Qatar, Tamim bin Hamad al Zani.

Presentes no funeral estiveram também o rei Abdallah II, da Jordânia, o presidente da Turquia, Recep Tayip Erdogan, o primeiro-ministro paquistanês, Nawaz Sharif, e o primeiro-ministro e Presidente egípcios, Ibrahim Mehleb, e Abdelfatah al Sisi, que cancelou a participação no Fórum Económico Mundial, que decorre em Davos, na Suíça.

A tradição muçulmana manda que os mortos sejam enterrados rapidamente, e que o túmulo não seja ostensivo, incluindo para os mais altos representantes oficiais.

O rei Abdullah da Arábia Saudita morreu esta madrugada, às 01:00 locais (22:00 de quinta-feira em Lisboa), depois de ter sido internado com pneumonia, de acordo com um comunicado da casa real saudita.

Salman bin Abdulaziz al Saud, de 79 anos, herdou o trono e o irmão Moqren bin Abdulaziz al Saud passa a ser o novo príncipe herdeiro, indicou a Casa Real.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG