Tribunal vai abrir processo contra ex-presidente alemão

O tribunal regional de Hannover, na Alemanha, vai abrir um processo contra o ex-presidente alemão Christian Wulff por suspeitas de aceitação de suborno, noticiou hoje a revista "Der Spiegel" citando fonte judiciais.

O Tribunal de Hannover deixou contudo cair as acusações mais pesadas contra o antigo chefe de Estado alemão, incluindo a de corrupção passiva, refere o "Der Spiegel".

De acordo com as fontes citadas pela revista alemã o processo vai iniciar-se a 01 de novembro.

O democrata-cristão Christian Wulff, que apresentou a demissão em fevereiro de 2012, estava a ser investigado pela Procuradoria-geral de Hannover pela prática de vários crimes de corrupção passiva, enquanto era presidente do estado-federado da Baixa Saxónia, que liderou entre 2003 e 2010.

Wulff, o mais jovem Presidente de sempre da Alemanha é suspeito de ter aceitado, na qualidade de governador da Baixa-Saxónia, subornos para favorecer o empresário David Groenewold.

Este produtor e cineasta alemão terá pago pelo menos três estadias (ou parte da despesas) ao casal Wulff, segundo a acusação inicial dos procuradores públicos de Hannover.

A polémica devido aos alegados casos de favorecimento contra Wulff rebentou no dia 13 de dezembro de 2011, quando o tabloide alemão "Bild" escreveu que Wulff tinha contraído junto de empresários amigos um empréstimo privado, no valor de meio milhão de euros, em condições muito vantajosas, com o qual comprou uma casa.

Contudo, as acusações mais graves acabaram por cair por terra durante o inquérito, mantendo-se apenas, as acusações de aceitação de suborno que tem a ver com uma estadia de Wulff num luxuoso hotel de Munique, em setembto de 2008, segundo as fontes citadas pelo "Der Spiegel".

Christian Wulff foi eleito Presidente da Alemanha a 30 de junho de 2010, para um mandato de cinco anos, por proposta da atual coligação governamental, os democratas cristãos da chanceler Angela Merkel e os liberais.

Para evitar uma crise política e livrar-se do escândalo, os democratas cristãos de Merkel e os liberais, que formam o atual executivo em Berlim, acabaram por chegar a acordo para apoiar a candidatura de Joachim Gauck, com o outro grande bloco político, os sociais-democratas do SPD e os Verdes.

Joachim Gauck foi eleito em março passado, tornando-se o primeiro alemão de leste a ocupar o mais alto cargo da Alemanha.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG