Tribunal belga examina pedido de liberdade condicional

O Tribunal de Execução de Penas de Bruxelas vai examinar no dia 3 de junho um pedido de liberdade condicional para Marc Dutroux, condenado por pedofilia e homicídio, e para o seu cúmplice, Michel Lelièvre.

Em 04 de fevereiro, Dutroux, que chegou a ser apontado como "inimigo número um da Bélgica", pediu ao mesmo tribunal autorização para que lhe fosse concedida uma pulseira eletrónica mas o pedido foi rejeitado.

Dutroux, 56 anos, foi condenado a prisão perpétua pelo sequestro e violação de seis raparigas com idades entre os oito e os 19 anos de idade, quatro das quais foram assassinadas.

Dutroux, detido há 17 anos, assassinou as jovens Julie Lejeune, Melissa Russo, An Marchal e Eefje Lambrecks, além de ter violado e sequestrado outras raparigas que sobreviveram às agressões.

Lelièvre, condenado a 25 anos de cadeia pela colaboração com Dutroux no sequestro e violação das raparigas também pediu liberdade condicional.

O cúmplice de Dutroux que se converteu à religião protestante na cadeia, chegou a tentar a entrada num convento para cumprir na instituição religiosa a sentença a que foi condenado.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG