Sondagens: Queda da popularidade dos dirigentes russos

Sondagens realizadas a menos de um mês das eleições parlamentares na Rússia, marcadas para 4 de Dezembro, mostram uma queda da popularidade dos líderes russos e do partido por eles dirigidos - o Rússia Unida.

Segundo uma sondagem realizada pela empresa Levada-Tsentr entre 28 de Outubro e 1 de Novembro, as intenções de voto no Rússia Unida desceu, em apenas uma semana, de 60 para 51 por cento.

Em comparação com os resultados das eleições parlamentares anteriores, o partido de Putin-Medvedev "poderá perder 25 por cento".

Desce também a popularidade do primeiro-ministro Vladimir Putin e do Presidente Dmitri Medvedev. O Levada-Tsentr determinou que, numa semana, o número de russos que apoiam a atividade de Putin desceu de 66 para 61 por centro e de Dmitri Medvedev, que é também o número na lista de candidatos do Rússia Unidade, de 62 para 57 por cento.

O Centro de Estudo da Opinião Pública (VTSION) revela números ainda mais baixos: Putin tem o apoio de 42 por cento dos respondentes e Medvedev 31 por cento.

Alexei Grajdankin, sociólogo do Levada-Tsentr, supõe que esta queda da popularidade dos dirigentes russos se deve à "forma descarada" de anúncio da troca de cargos: o primeiro-ministro Putin vai candidatar-se a Presidente da Rússia nas eleições de março de 2012 e, se for eleito, promete a Medvedev o lugar de chefe do conselho de ministros.

"Isso poderia ter ofendido os eleitores, humilhar a sua dignidade", avançou.

De acordo com o mesmo, há também uma desilusão face ao facto de Dmitri Medvedev não se ter revelado uma "figura política autónoma" e de "não haver concorrência".

Além disso, ele considera que "os aumentos de salários e reformas são miseráveis em comparação com o aumento dos preços".

Serguei Obukhov, secretário do Comité Central do Partido Comunista da Rússia, considera que se trata de "um movimento tectónico na consciência das massas".

Serguei Mitrokhin, líder do partido liberal Iabloko, está convencido de que a popularidade do dueto é "ainda menor".

Porém, Alexei Tchesnakov, porta-voz do Rússia Unida, considera a queda de popularidade apenas uma "flutuação" e considera que as sondagens dão a esse partido mais de 60 por cento dos votos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG