Sarkozy terá recebido 150 mil euros da herdeira da L'Oreal


O escândalo que está a apaixonar a França atinge agora directamente o Presidente do país e ex-presidente da câmara de Neully. Tudo começou quando a filha de Liliane Bettencourt, herdeira do império da cosmética francesa, processou um fotógrafo de celebridades que, segundo a ela, extorquiu à mãe quase mil milhões de euros em presentes.

Claire T., a ex-contabilista de Liliane Bettencourt, herdeira do império L'Oreal, implicou ontem directamente no escândalo o presidente Nicolas Sarkozy.  A mulher afirmou que o ministro do Trabalho francês, Eric Woerth,
recebeu, enquanto tesoureiro da UMP, a soma líquida de 150 000 euros para financiar a campanha presidencial do líder francês em 2007.

O advogado da ex-contabilista afirmou hoje que a cliente foi ouvida na véspera pela polícia transmitiu estas informações aos investigadores. "Durante a audição, ela [Claire T.] disse à polícia o que disse à Mediapart, a saber que [o gestor da fortuna de Bettencourt, Patrice] Maistre lhe tinha pedido para retirar 150 000 euros em 'cash', indicando-lhe que esta soma se destinava a Woerth", explicou o advogado, Antoine Gillot, citado pelas agências. 

O donativo, se for confirmado, será ilegal porque o máximo permitido pela lei do financiamento dos partidos políticos é de 7500 euros para um partido e de 4600 euros para um candidato a uma eleição.

A antiga contabilista afirmou também, à Mediapart, que Sarkozy, quando era presidente da câmara de Neuilly (oeste de Paris), de 1983 e 2002, "recebia também o seu envelope" da família Bettencourt. "Toda a gente sabia na casa que Sarkozy ia visitar os Bettencourt para recuperar o dinheiro", sublinhou.

Os gabinetes de Sarkozy e de Woerth desmentiram ontem a informação como sendo "totalmente falsa". O certo é que, já antes destas revelações, Woerth estava a ser acusado de envolvimento em fuga ao fisco, por alegadamente ter facilitado operações da sua mulher, Florence Woerth, ex-gestora de uma parte da fortuna de Liliane Bettencourt.

O escândalo que abala não só a mulher mais rica de França, mas também o Governo e a sua classe política, começou quando a filha da herdeira do império L'Oreal, Françoise, processou um fotógrafo do jet set, acusando-o de ter extorquido quase mil milhões de euros em presentes à mãe e que esta os deu porque já não está no seu perfeito juízo. Liliane nega estar senil e diz que tem o direito de dar presentes a quem bem entender.

A juntar a tudo isto há ainda as escutas ilegais feitas pelo mordomo da família Bettencourt, Pascal B., as quais revelam a existência de fuga ao fisco por parte da milionária e deixam a impressão de que ela já não está assim tão boa da cabeça como pensa.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG