Presidente húngaro demite-se após escândalo de plágio

Uma semana depois de ter perdido o título de doutoramento da Universidade de Semmelweis por alegado plágio, o Presidente da Hungria, Pal Schmitt, anunciou a demissão.

"Já que segundo a Constituição, o Presidente deve representar a união da nação húngara, e que eu me tornei infelizmente sinónimo de divisão, sinto que é meu dever separar-me do meu cargo", afirmou diante dos deputados.

Centenas de pessoas tinham protestado nos últimos dias frente ao palácio presidencial exigindo a demissão de Schmitt, de 69 anos, que é o Presidente húngaro menos popular desde a queda do comunismo.

Na sexta-feira, numa entrevista televisiva, Schmitt tinha dito que não havia qualquer ligação entre a perda do título de doutoramento e o seu papel como Chefe de Estado, negando ter agido de forma errada.

O escândalo rebentou em janeiro, quanto o portal financeiro hvg.hu revelou que o Presidente tinha copiado partes da sua tese de 1992 de outros autores, sem os citar ou referir. A Universidade de Semmelweis resolveu retirar-lhe o título, dizendo que a sua tese não cumpria com os padrões científicos e éticos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG