Polícia expulsa manifestantes de parque de Istambul

A polícia turca expulsou durante a noite o parque de Istambul onde se encontravam os manifestantes que se opõem ao primeiro-ministro Tayyip Erdogan, tendo-se verificado confrontos nas ruas próximas entre os elementos da oposição e as forças de segurança.

O Parque Gezi era o último local onde ainda se encontravam manifestantes depois da polícia os ter expulsado da Praça Taksim.

No Parque Gezi estavam algumas dezenas de milhares de pessoas, segundo a AFP, existindo ainda uma série de tendas que foram sendo montadas desde o início da contestação há cerca de duas semanas.

A operação policial sucedeu duas horas depois de ter expirado um derradeiro ultimato do primeiro-ministro Tayyip Erdogan, tendo os manifestantes sido expulsos em poucos minutos. Estes enfrentaram a polícia nas ruas adjacentes ao parque, forçando esta a recorrer a canhões de água e gás lacrimogéneo.

Ao ser conhecida a notícia da expulsão do Parque Gezi, alguns milhares de pessoas procuraram avançar para a Praça Taksim, o que desencadeou novos confrontos com as forças de segurança.

Declarações de um porta-voz da plataforma da oposição, designada Solidariedade Taksim, ficaram feridas centenas de pessoas. O governador de Istambul admitiu, por seu lado, a existência de 29 feridos.

"As nossas reivindicações ultrapassam os limites do Parque Gezi. Este é um movimento contra o Governo", disse uma estudante à AFP.

Para hoje, está marcada uma manifestação da oposição em Istambul, prevendo-se que o mesmo suceda noutras cidades, como foi já ontem o caso em Ancara, onde milhares de pessoas desfilaram ao final do dia contra o Governo de Erdogan.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG