Polícia diz que Breivik não teve cúmplices

As autoridades policiais da Noruega excluíram, hoje, a existência de cúmplices do assassino Anders Behring Breivik, que disse pertencer a um grupo pronto a atacar novamente.

Anders Behring Breivik revelou à policia num manifesto ideológico de 1500 páginas publicado na internet pouco antes dos ataques, que era membro de uma organização pan-europeia, os cavaleiros templários, que terá nascido em Londres em 2002, para proteger a Europa do Islão e do multiculturalismo.

Reconhecendo que se tratou de uma apresentação "demasiado pomposa", o radical de 33 anos esclareceu que a organização, afinal, tinha seis membros, garantindo, contudo, que as "outras células" podem atacar a qualquer momento.

"A polícia não encontrou evidências de que os cavaleiros templários existam como foi mencionado pelo acusado" acrescentou Wilberg, apresentando as conclusões do maior inquérito jamais realizado na Noruega, que mobilizou cerca de 1000 gentes policiais.

No entanto, Breivik admitiu em tribunal que a polícia de Oslo não conseguiria identificar entre as 8 mil pessoas a quem tinha enviado o seu manifesto, no dia 22 de julho, um cavaleiro templário.

Dos 8 mil relatados ,o manifesto acabou por ser enviado apenas para mil destinatários devido a um filtro que limita o número de envios.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG