Partido de Putin fica aquém dos 50% depois de contados 15% das mesas de voto

O Partido Rússia Unida, dirigido por Vladimir Putin e Dmitri Medvedev, conquistou 45,83 por cento depois de contados 15 por cento das mesas de voto, anunciou Vladimir Tchurov, presidente da Comissão Eleitoral da Rússia.

O Partido Comunista consegue 20,37 por cento, o Partido Liberal Democrático 14,42 por cento e o Rússia Justa 13,35 por cento.

O dirigente da Duma Estatal e líder da Rússia Unida, Boris Grizlov, já declarou a vitória ainda antes da Comissão Eleitoral Central da Rússia ter anunciado resultados definitivos.

"A Rússia Unida venceu e o resultado que conseguimos é muito significativo, mantivemos a maioria", frisou.

Durante a campanha eleitoral, este partido, dirigido por Vladimir Putin e Dmitri Medvedev, colocou como objetivo manter a maioria constitucional, mas não conseguiu.

Em 2007, conquistou 64,3 por cento dos votos.

Porém, Grizlov sublinhou: "A afluência foi superior a 50 por cento, o que legitima as eleições hoje realizadas. Parabéns pela vitória".

Não obstante o aumento significativo de votos no Partido Comunista, o seu dirigente Guennadi Ziuganov declarou que essa força política irá "lutar por cada voto" seu, "de noite e amanhã [segunda-feira]".

No entanto, sublinhou que não apelará a manifestações de rua dos seus apoiantes.

Vladimir Jirinovski, líder do Partido Liberal Democrático (nacionalista), afirma que o seu partido "deverá conquistar entre 20 e 30 por cento".

Serguei Mironov, dirigente do Rússia Justa (esquerda), declarou: "Iremos esperar o fim da contagem dos votos (...) Estamos a ver como se faz a história. O nosso partido atuou com confiança e assistimos ao aparecimento de uma nova correlação de forças no país".

O sociólogo do Fundo "Opinião Pública", Alexandre Oslon, afirma que uma sondagem à boca das urnas feita pela sua organização mostra que a Rússia Unida "não conquistará a maioria dos deputados e terá de fazer uma coligação".

Segundo esta sondagem, o Partido de Putin "terá 46 por cento dos votos" e menos de 225 dos 450 deputados da Duma Estatal, câmara baixa do Parlamento Russo.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG