Pai de Breivik condena livro onde é chamado tirano

Jens Breivik, o pai do assassino norueguês Anders Behring Breivik condenou esta sexta-feira a publicação do livro da sua ex-mulher, no qual o seu nome é envolvido, chegando a ser chamado de "tirano".

O pai de Breivik havia interposto uma providência cautelar para impedir a publicação do livro, mas Marit Christensen, a autora de "Mãe: a história de Wenche Behring Breivik", antecipou-se que conseguiu que a obra fosse publicada antes da decisão judicial ser conhecida.

De acordo com o jornal Dagbladet, neste livro, Jens Breivik é descrito como um "tirano".

Em entrevista à Rádio P4, Jens Breivik disse que a forma como é descrito na obra é completamente fictícia, e garantiu ainda que nunca foi contactado pela autora, nem durante a pesquisa nem no decorrer da escrita do livro. "O conteúdo foi todo elaborado. Nada disso é verdade"", frisou ao ser entrevistado.

Por outro lado, as livrarias surgiram em defesa desta publicação, uma vez que asseguram que há muitas pessoas que querem ler este livro. Prova disso, dizem, é a formação de enormes filas à porta dos estabelecimentos comerciais, nomeadamente nas livrarias.

Os advogados de Jens Breivik já anunciaram que irão processar a editora Aschehoug por ter publicado o livro contra a vontade dos eu cliente.

A AFP recorda que quando soube que filho tinha matado 77 pessoas a sangue frio, Jens Breivik, um ex-diplomata que vive na França, disse à imprensa que este seu ato tinha posto um fim à sua tranquila aposentação.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG