Oposição critica reacção de Presidente Medvedev

Vários partidos da oposição que participaram nas eleições parlamentares de há uma semana criticam as declarações do Presidente russo, Dmitri Medvedev, que rejeitou hoje repetir o escrutínio mas prometeu investigar suspeitas de fraude.

"Não estou de acordo nem com os slogans, nem com as declarações dos manifestantes", escreveu Medvedev na sua página do Facebook.

"No entanto, dei ordens para que sejam verificadas todas as informações que provêm das assembleias de voto e dizem respeito à legislação eleitoral", reiterou o Presidente, um dia após a mobilização social maciça a contestar a vitória do partido no poder.

"Na véspera das eleições, o Presidente disse a todos os participantes que as eleições iriam ser livres, mas tudo se transformou numa farsa. Não restam esperanças que essas declarações tenham algum resultado. Apenas dizem que as eleições devem ser livres e justas", comentou Vadim Soloviov, dirigente do serviço jurídico do Partido Comunista da Federação da Rússia, que conquistou o segundo lugar no Parlamento.

Segundo Soloviov, as autoridades ignoram frequentemente as declarações sobre as falsificações e "só duras acções de protesto poderão obrigar os burocratas a mexer-se".

Guennadi Gudkov, um dos dirigentes do Partido Rússia Justa, força política que ocupou o terceiro lugar, considerou a reacção de Medvedev "fraquinha".

"Estou desiludido com a reacção dele, porque o Presidente devia reagir de outra forma. Se isso tivesse sido dito por Tchurov (chefe da Comissão Eleitoral), poderia ser compreendido? Agora não precisamos disso, mas da recontagem de votos numa série de grandes regiões como Moscovo, São Petersburgo, Astrakhan?", disse.

Gudkov propõe a dissolução das comissões eleitorais central, regionais e locais "porque só satisfazem encomendas".

Serguei Mitrokhin, líder do partido liberal Iabloko, que não conseguiu eleger deputados, considera que Medvedev deve ordenar a abertura de processos-crime sobre falsificações nas eleições.

Para segunda-feira, está prevista uma reunião entre o Presidente russo e os dirigentes dos partidos que elegeram deputados.

Espera-se também que o primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, comente os protestos da oposição, pois a sua demissão é uma das exigências dos milhares de russos que se manifestam nas ruas das cidades russas.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG