Objeto não identificado do Báltico era afinal depósito glacial

O estranho objeto não identificado submerso no mar Báltico não é afinal mais que um depósito glacial, ou seja, uma formação rochosa impulsionada pelo gelo, ao longo de milhares de anos, para a sua posição atual.

Brüchert Volker, Professor associado de Geologia, da Universidade de Estocolmo, na Suécia, chegou a esta conclusão depois de estudar amostras da formação rochosa fornecidas por Peter Lindberg, o caçador de tesouros que, juntamente com o grupo Oceano X, descobriu o objeto, em abril .

O objeto, não identificado até agora, tem cerca de 60 metros de diâmetro e duas pontas longas e afiadas. A teoria de Lindberg era a de que o objeto tinha caído ao mar e deslizado até à posição onde está atualmente. Teorias sobre extraterrestres e experiências nazis também surgiram. O caso ganhou o nome de 'anomalia no Báltico'.

A localização exata numa foi revelada por Lindberg para garantir a exclusividade da possível descoberta, mas sabe-se que está a 90 metros de profundidade no Golfo de Bótnia, no mar Báltico. As conclusões de Volker deitaram por terra as esperanças do caçador de tesouros.

"Eu encontrei um mineral negro que poderá ser uma rocha vulcânica. A minha hipótese é que este objeto de grandes proporções se formou durante a Idade do Gelo, há muitos milhares de anos", afirmou o geólogo, citado pelo jornal espanhol 'ABC'.

Vejo o vídeo sobre a descoberta original pela equipa Oceano X, liderada por Peter Lindberg:

Mais Notícias

Outras Notícias GMG