O 'verdadeiro anel de Sauron' exposto em Inglaterra

No quinto capítulo do livro "O Hobbit", Bilbo Bagins, o tio de Frodo, encontra um anel na caverna de Gollum. Hoje, uma exposição no The Vyne, um palácio rural de Hampshire, Inglaterra, mostra ao público o anel romano que inspirou o Anel de Sauron criado por J. R. R. Tolkien e que ganhou fama mundial com o seu épico "O Senhor dos Anéis".

Veja o vídeo promocional da exposição:

Segundo a lenda, contada pelo curador do museu, Dave Green, "há muito mais que um simples anel". Green refere-se a uma maldição, conhecida como 'the Dwarf's Hill', que perseguia quem quer que tentasse roubar a jóia e que, na sua opinião, terá servido de inspiração ao famoso romancista.

Antes de escrever "O Senhor dos Anéis", Tolkien deu aulas de anglo-saxão na universidade de Oxford, dedicando dois anos à investigação que iria possibilitar a publicação do fantástico Hobbit em 1937.

O escritor descobriu um anel milenar, da Roma Antiga, nas coleções deixadas pela família Chute que, muito interessada em questões políticas e na coleção de antiguidades valiosas, o comprou a um camponês em 1785.

Com doze gramas de puro ouro, o anel é tão largo que só cabe num polegar extremamente grande ou revestido por uma luva. Além disso possui uma imagem de uma figura humana usando uma espécie de diadema gravada no topo e, nos lados, a frase "Senicianus vive bem com Deus".

A exposição do The Vyne, que agora é propriedade da The National Trust, uma fundação que protege a herança e o espólio britânico, está a ser apoiada pelo Tolkien Trust, e apresenta-nos o verdadeiro 'Anel do Poder', bem como uma cópia da maldição que o acompanha.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG