Não havia turistas nos comboios que colidiram na Suíça

Nos dois comboios que embateram em Granges-près-Marnand, na segunda-feira, na Suíça francesa, não havia turistas, informou hoje à Lusa fonte da polícia do cantão de Vaud.

Sem revelar a nacionalidade dos feridos resultantes da colisão frontal entre os dois comboios, a fonte avançou que não havia turistas a bordo.

A colisão frontal entre os dois comboios provocou 26 feridos, cinco deles em estado grave, e a morte a um dos maquinistas.

Segundo fonte policial, dois dos cinco feridos internados no hospital em estado considerado grave já tiveram alta hospitalar.

"Continuam hospitalizados dois adultos e uma criança, mas não correm perigo de vida", disse.

Além disso, cerca de dez passageiros ficaram "ligeiramente afetados" pelo choque, tendo sido vistos por uma equipa médica no local.

Segundo o secretário de Estado das Comunidades, José Cesário, uma das pessoas que ficou ferida sem gravidade é portuguesa, mas desconhece-se se a mulher terá também nacionalidade suíça.

O corpo do maquinista, de 24 anos e de nacionalidade francesa, foi encontrado entre os destroços, na madrugada, quando os bombeiros conseguiram separar as duas locomotivas e aceder à cabina.

O outro condutor está vivo e foi assistido pelos meios de socorro no local, tendo já sido ouvido pelas autoridades.

As investigações preliminares revelam que um dos maquinistas não terá respeitado um sinal luminoso provocando o acidente ferroviário.

Os trabalhos de desencarceramento e limpeza dos destroços, segundo a fonte policial, continuam.

O acidente aconteceu às 19:00 (18:00 em Lisboa) em Granges-près-Marnand, no cantão de Vaud, entre um comboio que circulava em direção a Lausanne e um outro que era proveniente da mesma cidade.

As frentes das duas locomotivas ficaram desfeitas com a violência do choque e parcialmente encastradas uma na outra. A colisão deu-se na linha que liga as cidades de Payerne e Palézieux.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG