MNE russo diz que sanções são "inaceitáveis" e terão consequências

O chefe da diplomacia russa disse hoje, durante uma conversa telefónica com o seu homólogo norte-americano, que as sanções impostas pela União Europeia (UE) e pelos Estados Unidos contra a Rússia são "inaceitáveis" e terão consequências.

"As sanções introduzidas pelos Estados Unidos e pela UE são absolutamente inaceitáveis e não ficarão sem consequências", disse Serguei Lavrov, segundo um comunicado do Ministério dos Negócios Estrangeiros russo.

A mesma nota informativa precisou que o contacto telefónico surgiu por iniciativa do secretário de Estado norte-americano, John Kerry.

O ministério russo não forneceu qualquer detalhe sobre as possíveis medidas de retaliação que estão a ser equacionadas pelas autoridades de Moscovo.

O Presidente russo, Vladimir Putin, assinou hoje um tratado bilateral de união com o primeiro-ministro da Crimeia, Sergei Aksionov, e outros dirigentes da península, ignorando as sanções ocidentais impostas contra Moscovo.

A república autónoma ucraniana da Crimeia, de população maioritariamente russa, está no centro da tensão entre a Rússia e a Ucrânia desde a destituição, em fevereiro, do presidente ucraniano Viktor Ianukovich, considerado pró-russo.

As autoridades locais da península autónoma recusaram reconhecer o novo Governo de Kiev e referendaram, no domingo passado, uma união com a Rússia, apoiada por 96,77% dos votantes.

A situação na península da Crimeia agravou-se entretanto após um ataque de homens armados a uma base militar ucraniana na república autónoma, com o registo de pelo menos um morto e um ferido.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG