Ministro obrigado a demitir-se após debate com Medvedev

O vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças russo, Alexei Kudrin, foi forçado a demitir-se na segunda-feira na sequência de um debate televisivo com Dmitry Medvedev, em que pediu explicações sobre as políticas do presidente ou a demissão deste.

O conflito aberto com o líder da Rússia prolongava-se desde o fim-de-semana.

O Congresso do Partido Rússia Unida decidiu avançar a candidatura de Vladimir Putin para o cargo de Presidente da Rússia nas eleições de Março de 2012 e, em caso de vitória, Dmitri Medvedev será nomeado primeiro-ministro.

A saída de Kudrin é vista como desestabilizadora para os mercados. Antigo membro da equipa de Putin, Kudrin foi ministro das Finanças desde 2000 e a sua actuação era vista como fundamental para a estabilidade económica da Rússia.

"É difícil ver a demissão de Kudrin como outra coisa senão negativa", disse o analista da Capital Economics, Neil Shearing. "Com o preço do petróleo a começar a baixar e os mercados financeiros ainda instáveis, agora não é uma boa altura para um governo perder o seu rumo fiscal", afirmou.

No sábado, nos Estados Unidos, Kudrin tinha dito que se recusava a servir no governo de Medvedev devido a divergências sobre questões económicas, incluindo o seu plano para aumentar substancialmente os gastos militares.

Dirigindo-se a Kudrin na segunda-feira, Medvedev classificou as suas declarações de "conversa irresponsável" e "inadequada", sobretudo porque foram proferidas enquanto este estava em Washington para reuniões do Fundo Monetário Internacional e Banco Mundial.

"Se não concorda com a linha traçada pelo presidente e implementada pelo governo, tem uma solução: demitir-se", disse Medvedev durante uma reunião da comissão presidencial sobre a modernização realizada na cidade de Dimitrovgrad.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG