Mikhail Gorbatchov defende novas eleições

O antigo Presidente da União Soviética considerou hoje que as autoridades russas devem anunciar a realização de novas eleições legislativas e que a sociedade pode reagir, caso a resposta seja negativa.

"Se elas (autoridades), durante 12 dias, não nos propuserem uma solução para questão da anulação dos resultados eleitorais, teremos o direito de dizer às pessoas: devemos tratar disso juntos. E há muitas maneiras de fazer isso", declarou numa entrevista à rádio Eco de Moscovo.

"Se o poder continuar a tratar a sociedade assim, se continuar a organizar, a ser esperto e a mobilizar assim todos os recursos, e o poder tem sempre muitos recursos, devo dizer que a sociedade deve ser capaz de responder a isso", frisou.

O antigo dirigente soviético afirmou o seu apoio à manifestação convocada pela oposição para o dia 24 de Dezembro, na Praça Bolotnaia de Moscovo.

Em 24 horas, quase 14 mil pessoas já confirmaram, através da página na rede social Facebook, a participação na iniciativa.

Os organizadores da manifestação consideraram que o protesto irá ter mais participantes do que o de 10 de Dezembro. De acordo com a polícia russa, 25 mil pessoas participaram na manifestação de sábado, mas a organização contabilizou cerca de 80 mil participantes.

Vladimir Rijkov, um dos dirigentes do Partido da Vontade Popular, força política que não é reconhecida pelo poder, anunciou que as reivindicações serão as mesmas: "anulação dos resultados das eleições, investigação das falsificações, libertação dos presos políticos, demissão de Vladimir Tchurov do cargo de dirigente da Comissão Eleitoral da Rússia e legalização dos partidos da oposição".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG