Merkel adia posição sobre proibição de partido neonazi

A Câmara Alta do Parlamento alemão pediu hoje a proibição do Partido Nacional Democrático (NDP), partido neonazi, desta vez por alegadas ligações a uma série de homicídios de caráter racista. Contudo, a chanceler alemã, Angela Merkel, ainda não expressou qualquer apoio ao requerimento, reservando a sua posição para o primeiro trimestre de 2013.

No Bunderstat, o pedido dos 16 representantes dos estados regionais foi quase unânime, contando com uma abstenção. Os políticos procederam assim com o pedido de proibição do NDP, considerado racista e antisemita, perante o Tribunal Constitucional.

O adiamento da decisão de Merkel prender-seá com o facto de uma tentativa de proibição semelhante ter falhado em 2003 e um novo revés pode fortalecer o partido.

Nessa anterior tentativa de proibição os juízes recusaram o pedido afirmando que as provas apresentadas tinham sido "contaminadas". Estas tinham sido obtidas através de vários informadores do Governo colocados no NDP, siginificando que o partido estaria a ser influenciado pelo Estado.

De acordo com a BBC, a lei alemã indica que o Governo ou qualquer Câmara do Parlamento pode solicitar a proibição de um partido político, perante o Tribunal Constitucional. Porém, necessita da aprovação do Parlamento e do gabinete de Merkel.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG