Mais 200 africanos entram em Espanha por Melilla

Mais de 200 imigrantes, naturais da África subsariana, entraram em Espanha através do enclave de Melilla. Os homens conseguiram atravessar a fronteira fortificada vindos de Marrocos, anunciaram as autoridades da cidade.

De madrugada, três centenas de subsarianos lançaram o assalto contra as três fileiras de arame farpado que constituem a fronteira entre Marrocos e a cidade espanhola. 200 terão conseguido passar, numa das maiores levas de ilegais a chegarem a Melilla nos últimos tempos.

Muitos destes subsarianos acabaram por ter de receber tratamento médico devido aos cortes que sofreram ao escalar o arame farpado na sua ânsia de chegar à Europa, onde vêm à procura de uma vida melhor.

Durante a manhã, "214 imigrantes chegaram ao Centro de Acolhimento para imigrantes" do Governo espanhol, "a entoar cânticos de alegria enquanto atravessavam a cidade", afirmou a Câmara de Melilla.

Nas últimas semanas, a cidade espanhola tem sido submetida a uma maior pressão migratória, tal como tem acontecido em Ceuta, no norte de Marrocos. Foi aí que pelo menos 14 imigrantes morreram afogados a 6 de fevereiro ao tentarem entrar em território espanhol por mar.

A resposta das forças policiais espanholas, acusadas de terem disparados balas de borracha contra os clandestinos, causou polémica em Espanha. Depois deste episódio, o Ministério do Interior anunciou que a Guardia Civil proibiu aos agentes de dispararem balas de borracha para travar a entrada em força de imigrantes em Ceuta e Melilla.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG