Mãe de Assange confia que filho vai para o Equador

A mãe do fundador do portal WikiLeaks disse hoje estar confiante de que Julian Assange vai conseguir viajar para o Equador, apesar do impasse diplomático relacionado com o asilo concedido por Quito.

"Penso que é muito realista", afirmou Christine Assange, referindo-se à possibilidade de Assange ir para o Equador.

"Ele tem milhares de milhões de pessoas em todo o mundo que o apoiam, os Estados Unidos e os seus aliados estão praticamente sozinhos e o apoio cresce de dia para dia", observou em declarações ao canal australiano ABC 24, sustentando que "pode ser que o Governo britânico decida recuar na sua posição de 'cão de guarda' dos Estados Unidos".

O Equador decidiu, esta semana, conceder asilo ao fundador do portal WikiLeaks, que se refugiou na sua embaixada em Londres dia 19 de junho. O Reino Unido considera, no entanto, que a decisão "não muda nada" e que tem a obrigação de extraditar Julian Assange para a Suécia, que o reclama por dois crimes sexuais.

Quito anunciou que o Reino Unido poderia assaltar a sua missão diplomática em Londres caso o australiano não fosse entregue às autoridades britânicas. Londres poderá justificar uma intervenção desse tipo com uma lei de 1987 que permite levantar a imunidade de uma embaixada em solo britânico.

Christine Assange reconheceu que o seu filho está preocupado com o pode acontecer, mas que continua bem humorado: "Obviamente ele está preocupado com o facto dos aliados dos Estados Unidos estarem não só a violar as leis e protocolos nacionais em relação a este caso como a desejar agora violar o Direito Internacional".

Mais Notícias

Outras Notícias GMG