Kremlin não quer mala Vuitton na Praça Vermelha

O Kremlin exigiu hoje à Louis Vuitton, a marca de luxo francesa, que desmonte o pavilhão em forma de mala que colocou na Praça Vermelha, em Moscovo.

"A edificação do pavilhão na Praça Vermelha não foi coordenada com a administração do Presidente da Federação Russa", disse um funcionário do Kremlin, citado pela AFP. Segundo a mesma fonte, o pavilhão terá de ser removido imediatamente.

O pavilhão, que representa uma mala da marca Louis Vuitton, foi erguido na Praça Vermelha dias antes do festival desta marca francesa em Moscovo. O pavilhão deveria abrigar uma exposição intitulada "Espírito de Viagens" e os lucros da mesma seriam transferidos para obras de caridade. A aparição do pavilhão na principal praça do país causou um grande tumulto na opinião pública.

Os comunistas russos, por exemplo, ficaram indignados pela colocação do pavilhão da Louis Vuitton na Praça Vermelha. Segundo declarou ontem um dos líderes do Partido Comunista, citado pela AFP, a Praça Vermelha é um lugar sagrado do Estado russo que não pode ser banalizado e denegrido.

O pavilhão foi instalado na Praça Vermelha em meados deste mês. A construção tem 9 metros de altura e 30 metros de comprimento.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG