Kate McCann não conseguia fazer amor com o Gerry

Depois do relato do ataque de fúria, Kate conta a sua luta pessoal para conseguir ter sexo com o marido e para voltar a gostar de viver, depois do desaparecimento da filha Madeleine a 3 de Maio de 2007.

Kate conta no seu livro os medos causados pelo desaparecimento da filha, que afectaram a sua relação com o marido Gerry, e puseram em causa muitas das coisas em que acreditava, segundo relata hoje, terça-feira, o jornal "The Sun", que tem vindo a publicar excertos do livro "Madeleine".

"Depois de me terem tirado a Madeleine o meu desejo sexual caiu para zero", conta Kate McCann, 43 anos. A mãe de Maddie diz ainda que a sua vida sexual não é algo que goste de partilhar, no entanto, considera que é uma parte integral do casamento, e que estaria mal não o reconhecer.

Segundo Kate: "Para os sortudos que não têm dores de cabeça assim, eu espero que isto lhes dê uma ideia do quão profundas são as feridas". A mãe de Madeleine, conta assim no seu livro os traumas com que lida após o episódio do desaparecimento da filha, que se centram "na incapacidade de ter qualquer prazer, quer seja ler um livro ou fazer amor com o marido".

Kate refere ainda que se sente afectada por pensar que Madeleine poderá ter estado nas mãos de um pedófilo.

O livro publicado pela Transworld é um relato pessoal dos factos, escrito por Kate, desde o dia em que Madeleine desapareceu. Os lucros das vendas revertem para o fundo criado pelos McCann para tentar manter viva a busca pela sua filha.

"Madeleine" é lançado em Portugal no dia 23.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG