IV Cimeira mostrou vitalidade da parceria, Rompuy

O presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, considerou que a IV Cimeira UE-África, que decorreu entre quarta-feira e hoje em Bruxelas, mostrou a "vitalidade" desta parceria, cada vez mais "entre iguais".

Na conferência de imprensa final após o encerramento dos trabalhos, Van Rompuy disse que essa vitalidade ficou demonstrada pela riqueza do diálogo mantido ao longo dos dois dias, como como pelo "elevado nível de participação" na cimeira, o maior evento alguma vez organizado nas instituições europeias, que juntou chefes de Estado e de Governo de 40 países africanos e 21 Estados-membros da UE, além de líderes de instituições europeias, africanas e o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon.

Referindo-se ao lema da IV Cimeira - "Investir nas pessoas, na prosperidade e na paz" -, o presidente do Conselho considerou que foi possível passar em revista os progressos feitos ao longo dos últimos anos, mas sobretudo projetar iniciativas futuras, nos mais diversos domínios.

No campo económico, sublinhou as discussões sobre como "promover investimento recíproco" entre os continentes, o papel das Pequenas e Médias Empresas, acesso ao crédito, combate à corrupção e a boa governação, tendo comentando que se está perante uma grande mudança, "from aid to trade", ou seja, "de ajuda ao comércio".

Apontando que foi, no entanto, o investimento nas pessoas que foi "o fio condutor de todas as reflexões da cimeira", sublinhou o consenso em torno da necessidade de promover a defesa dos direitos humanos, incluindo das minorias, e de desenvolver competências para desbloquear todo o potencial do capital humano, e anunciou que foi estabelecido um plano de ação de cinco pontos a nível de política de imigração, "para evitar tragédias como as de Lampedusa".

Portugal esteve representado na cimeira pelo primeiro-ministro Pedro Passos Coelho, que regressou hoje de manhã a Lisboa para participar no Conselho de Ministros.

ACC/ATF/IG/VM // APN

Mais Notícias

Outras Notícias GMG