Isabel II coloca na Net diário pessoal da rainha Vitória

A rainha Vitória manteve um diário desde os 13 anos até às últimas semanas de vida, em 1901.

A rainha Isabel II autorizou a colocação em linha dos diários particulares da sua trisavó Vitória, que chegou ao trono em 1837, aí permanecendo até 22 janeiro de 1901, quando morreu aos 81 anos.

Vitória foi desde jovem uma cronista prolixa, fixando em escrita os seus pensamentos e experiências diárias desde os 13 anos. Uma prática a que permaneceu fiel até às últimas semanas de vida.

Os seus diários são constituídos por 141 volumes, com mais de 8,5 milhões de palavras. Deste total, cerca de 40 mil páginas estão agora disponíveis em www.queenvictoriajournals.org, tendo sido necessários oito meses para colocar em linha estas páginas que abrangem desde o período da sua coroação, junho de 1838, ao seu jubileu de diamante - 60 anos de reinado, verificado em 1897.

A maioria dos textos estão escritos pelo punho de Vitória e alguns foram retranscritos pela sua filha Beatriz, após a morte da mãe.

Os textos revelam Vitória na sua intimidade, que descreve assim os momentos após o casamento com o príncipe Alberto: "beijou-me uma vez, e uma outra e uma outra. Será que houve mulher tão abençoada como eu?".

Ao fazer 18 anos, reflecte: "hoje fiz 18 anos. Como envelheci, mas, ainda assim, como estou longe de ser aquilo que deveria ser."

Vitória permaneceu 63 anos no trono naquele que é o reinado mais longo da monarquia britânica. Isabel II está a assinalar este ano o seu 60.º aniversário no trono e garantiu que "nunca" serão publicados os seus diários.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG