Greve dos magistrados espanhóis chegou aos 50%

Mais de 2000 juízes e procuradores espanhóis entraram hoje em greve contra os planos de reforma do sistema judicial do ministro da Justiça, Ruiz Gallardon.

Os números foram avançados pelos Juízes para a Democracia, uma organização que se auto-intitula como "uma associação profissional de juízes e magistrados com uma visão progressista do serviço público da justiça".

Luis Villares, representante da associação, afirmou que os resultados da paralisação foram "satisfatórios", com "índices altos em Vigo e Pontevedra", chegando a atingir os 50% nas cidades galegas.

A greve, que foi convocada por associações que se insurgem contra a "politização da Justiça e do Conselho Geral do Poder Judiciário (CGPJ)" e contra os "planos de reforma do sistema judicial do ministro da Justiça, Ruiz Gallardon", teve impacto um pouco por toda a Espanha.

Em conjunto com o Sindicato dos Magistrados do Ministério Público (SMMP), os Juízes para a Justiça reivindicaram mais investimentos no sector da justiça, cortes nos impostos judiciais e a reforma do indulto (perdão de penas), aproveitando para denunciar, ainda, os graves riscos que enfrenta o sistema judiciário espanhol.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG