Greenpeace divulga vídeo de ataque ao "Arctic Sunrise"

A organização ecologista Greenpeace difundiu hoje o primeiro vídeo do assalto de 19 de setembro ao navio quebra-gelo "Arctic Sunrise", pela guarda de fronteiras da Rússia.

Nas imagens, gravadas pelos tripulantes e disponíveis no canal "GreenpeaceVideo" do sítio na Internet YouTube, é possível ver um helicóptero sobre a embarcação e agentes de segurança, de máscara e com metralhadoras, a descer por um cabo para o convés.

Também é possível ver ativistas da Greenpeace, no convés, com os braços no ar e sem oferecer resistência aos agentes russos. Vê-se também um guarda a empurrar um ativista.

No último plano, o "Arctic Sunrise" surge a ser rebocado para a cidade portuária de Murmansk, onde 30 elementos da Greenpeace estão detidos desde que o navio foi apresado, quando protestavam contra uma exploração da empresa de gás russa Gazprom, no Ártico.

Na quinta-feira, o Tribunal Internacional de Direito do Mar, com sede em Hamburgo (Alemanha), iniciou a análise da queixa apresentada pela Holanda contra a detenção de 28 ativistas, um operador de câmara e um fotógrafo independentes, na ausência da parte russa.

O "Arctic Sunrise" tinha pavilhão holandês.

Em meados de Outubro, a Holanda recorreu àquela instância judicial para conseguir a libertação dos 30 tripulantes do navio da Greenpeace, que se encontram sob prisão preventiva, em Murmansk (noroeste da Rússia), sob a acusação inicial de pirataria. Atualmente, a acusação pendente é de vandalismo.

Os detidos são oriundos da Rússia, Estados Unidos, Argentina, Reino Unido, Canadá, Itália, Ucrânia, Nova Zelândia, Holanda, Dinamarca, Austrália, Brasil, República Checa, Polónia, Turquia, Finlândia, Suécia e França.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG