Gorbachov hospitalizado para "exame geral" de rotina

O último dirigente da União Soviética, Mikhail Gorbachov, 82 anos, foi hoje hospitalizado em Moscovo para um exame de rotina ao estado de saúde, anunciou um porta-voz da sua fundação.

"Gorbachov será submetido a um exame geral. Isso sucede uma vez por ano, por vezes duas vezes por ano", declarou à agência noticiosa AFP o porta-voz da fundação, Vladimir Poliakov.

"A sua hospitalização não está relacionada com nenhum motivo particular, não há qualquer motivo de inquietação", assegurou o porta-voz.

Nas últimas intervenções públicas, Gorbachov surgiu com um aspeto fatigado e a face inchada. Segundo a agência Interfax, que citou o seu porta-voz, o ex-líder soviético padece de diabetes.

Devido a problemas de saúde, o ex-número um do Kremlin não esteve presente em abril nas cerimónias fúnebres da antiga primeira-ministra britânica Margaret Thatcher e cancelou a participação nas Conferências do Estoril, em Portugal, no início de maio.

Designado líder soviético em 1985, Gorbachov desencadeou um programa de reformas políticas e económicas conhecidas por glasnost (abertura) e perestroika (reestruturação).

Permaneceu como líder soviético até 1991, o ano da dissolução da União Soviética, e foi substituído no Kremlin pelo primeiro Presidente da Rússia, Boris Ieltsin.

Desde então, tem desempenhado um papel marginal da política russa, apesar de mais recentemente ter exortado o Presidente russo Vladimir Putin a não concorrer a um terceiro mandato, o que acabou por se confirmar em 2012.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG