Futuro presidente tem de adoptar refomas estruturais

O último dirigente da União Soviética, Mikhail Gorbachov, considerou que o próximo presidente da Rússia deverá adoptar reformas estruturais, numa entrevista ao jornal russo Novaya Gazeta, hoje publicada.

"Se o próximo Presidente - seja quem for, incluindo Vladimir Putin - deixa tudo como está para pensar só em deter o poder e como consequência mantém a velha equipa (de governo), responsável pelo que acontece actualmente, será um erro", defendeu Gorbachov.

O último secretário-geral do Partido Comunista da União Soviética (PCUS) adiantou que "não haverá avanços se não se produzirem importantes mudanças a nível de todo o sistema".

"A situação actual não é fácil. Há pouco já disse que não tem saída. É preciso sair dela. Parece-me que (sem reformas) nos veremos numa situação de perder seis anos. O futuro Presidente deve tê-lo em conta", indicou o ex-líder soviético.

Gorbachov referiu-se à decisão, anunciada este sábado pelo actual Presidente russo Dmitri Medvedev no congresso do partido Rússia Unida, de propor o primeiro-ministro, Vladimir Putin, para candidato à chefia de Estado nas eleições de Março de 2012.

"O autor do que se fez nos últimos tempos e o que levou à situação actual foi o primeiro-ministro [Putin], e seguramente ele terá que tomar as decisões", sublinhou.

O homem que propiciou o fim da ditadura soviética recordou no entanto que um país que "aspira à democracia" não deve dar como dado adquirido que o nome do futuro Presidente esteja decidido.

"Acostumámo-nos a que tudo esteja predeterminado de antemão, que o que está dito está decidido, mas aspiramos à democracia", afirmou.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG