Funcionários públicos saem à rua pelo terceiro dia

Os funcionários públicos espanhóis estão hoje novamente em protestos em vários pontos de Espanha, com destaque para uma ampla manifestação na Puerta del Sol, em Madrid, contestando o novo plano de ajuste anunciado pelo Governo.

Os funcionários realizaram já vários protestos desde quarta-feira, quando o presidente do Governo, Mariano Rajoy, anunciou o plano de ajuste de 65 mil milhões de euros (que inclui o aumento do IVA, reduções no subsídio de desemprego e o corte do subsidio de natal).

As manifestações foram organizadas de forma espontânea e convocadas pelas redes sociais e realizaram-se em frente ao Congresso de Deputados, à sede do PP em Madrid e em vários pontos da geografia espanhola.

Hoje os sindicatos convocaram protestos em todos os centros de trabalho das administrações públicas, coincidindo com a reunião do Conselho de Ministros que aprovará, formalmente, grande parte do plano de ajuste.

Uma das maiores concentrações decorre, desde o final da manhã, na Puerta del Sol, em frente à sede do Governo regional de Madrid, numa contestação ao corte do subsídio de natal e à redução do número de folgas.

Em Valência cerca de 200 funcionários da Justiça concentraram-se em protesto em frente à Cidade da Justiça com protestos a decorrer nas principais cidades do país.

As concentrações são as primeiras do que se antecipa será um verão 'quente' de mobilizações sociais em Espanha, com os sindicatos a anunciarem uma grande manifestação para 19 de julho e estando já a ser estudada uma eventual greve geral, para outubro.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG