Filho de Ratko Mladic diz que o pai é inocente

O ex-chefe militar dos sérvios da Bósnia Ratko Mladic, detido na quinta-feira, é inocente e está debilitado para ser transferido para o Tribunal Penal Internacional (TPI) para a antiga Jugoslávia, em Haia, garantiu hoje o filho.

O Tribunal Penal Internacional (TPI) para a ex-Jugoslávia exige desde 1995 a detenção de Ratko Mladic pelo papel durante a guerra da Bósnia (1992-1995). Mladic foi formalmente acusado de crimes de guerra, crimes contra a humanidade e genocídio, nomeadamente pelo papel no massacre de Srebrenica (Bósnia), no qual cerca de 8000 homens e rapazes muçulmanos foram mortos, e pelo cerco de Sarajevo.

Ratko considera "que não é culpado daquilo que é acusado", disse Darko Mladic, em declarações à comunicação social, em frente ao edifício do tribunal para crimes de guerra, em Belgrado, depois de ter visitado o pai. Questionado sobre a transferência do pai para o TPI, na Holanda, Darko Mladic garantiu que o estado de saúde de Ratko Mladic é debilitado.

"Não sou médico, mas penso que, neste momento, ele não é transferível", disse o filho do ex-líder militar. "Acreditamos que o seu estado de saúde é preocupante", acrescentou. O Presidente sérvio, Boris Tadic, anunciou na quinta-feira a detenção na aldeia de Lazarevo, no norte da Sérvia, de Ratko Mladic, que se encontrava em fuga há 16 anos.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG