Falta de unanimidade sobre Juncker "não será drama"

A chanceler alemã, Angela Merkel, que apoia a candidatura, contestada pelo Reino Unido, de Jean-Claude Juncker à presidência da Comissão Europeia, afirmou hoje que "não será nenhum drama" se o luxemburguês for escolhido sem unanimidade.

"Precisamos de uma maioria qualificada" no conselho europeu de quinta e sexta-feira para a nomeação de Juncker, disse Merkel num discurso na câmara baixa do parlamento alemão, Bundestag.

"Quero sublinhar que é exatamente o que está previsto nos tratados, por isso não será nenhum drama se só tivermos uma maioria qualificada", acrescentou, manifestando a expetativa de o candidato recolher "um amplo apoio dos Estados-membros".

A chanceler disse ainda que as consultas entre os 28 têm decorrido "num espírito europeu" em que "as preocupações de todos os Estados-membros são levadas a sério".

O primeiro-ministro britânico tem insistido na sua oposição a Jean-Claude Juncker, que considera "demasiado federalista" e pouco inclinado a fazer as reformas europeias que Londres defende, e anunciou a intenção de pedir uma votação no conselho europeu.

Juncker, candidato do Partido Popular Europeu (PPE), obteve no sábado o apoio adicional de nove governos de centro-esquerda, entre os quais o do primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, e o do Presidente francês, François Hollande.

Um conflito entre o Reino Unido e os restantes Estados-membros pode ter consequências graves no relacionamento da União Europeia com Londres, que prevê fazer um referendo sobre a permanência do país na UE em 2017.

Mais Notícias