Equador quer impedir julgamento por "perseguição política"

O Ministro dos Negócios Estrangeiros do Equador garantiu que Julian Assange poderá ficar na embaixada do seu país em Londres para que não ser julgado por uma "perseguição política".

O Ministro dos Negócios Estrangeiros do Equador, Ricardo Patiño, garantiu quinta-feira na capital mexicana que o fundador do WikiLeaks, Julian Assange, poderá permanecer na embaixada do seu país em Londres "o tempo que seja necessário".

O governante acrescentou também que a permanência de Assanje na missão diplomática visa garantir que este não seja julgado por uma "perseguição política".

Num encontro organizado pela Rede de Intelectuais e Artistas em Defesa da Humanidade e pelo Movimento Solidário América Nossa na sede do clube de jornalistas, Ricardo Patiño garantiu que o Equador mantém uma posição de "firmeza e dignidade" no caso fundamentada por uma dezena de convenções internacionais.

Além disso, disse, Julian Assange está protegido pelo Estado equatoriano em Losndres desde que a 19 de julho solicitou asilo diplomático na embaixada e indicou que o Governo britânico deve conceder-lhe um salvo-conduto para respeitar uma decisão soberana que foi apoiada por milhões de pessoas em todo o mundo.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG