Durão Barroso exorta Rússia a trabalhar com UE para unir o país

O presidente da Comissão Europeia advertiu hoje que "a unidade e integridade territorial da Ucrânia tem que ser respeitada" e exortou a Rússia a trabalhar de forma construtiva com a União Europeia com vista a assegurar uma "Ucrânia unida".

"Lanço daqui um apelo a todos os nossos parceiros internacionais, em particular a Rússia, no sentido de trabalharem de forma construtiva connosco para garantir uma Ucrânia unida que possa ser um fator de estabilidade no continente europeu, uma Ucrânia que tenha boas relações tanto com os seus parceiros ocidentais como com os seus parceiros a Leste", declarou José Manuel Durão Barroso, perante o Parlamento Europeu, em Estrasburgo, França.

Recordando que a Alta Representante da União Europeia para a Política Externa, Catherine Ashton, se encontra em Kiev para ajudar a estabelecer pontes de entendimento, o presidente do executivo comunitário defendeu que "uma solução durável para a crise politica e institucional (na Ucrânia) só pode ser alcançada através de um governo de transição inclusivo, que respeite as diferentes sensibilidades politicas e regionais, e através de uma reforma constitucional e eleições democráticas, tal como previsto no acordo de 21 de fevereiro".

"Os ventos da mudança estão novamente a bater à porta da Ucrânia e a vontade do povo deve prevalecer", concluiu.

A crise política na Ucrânia iniciou-se há três meses, depois de o Presidente Viktor Ianukovich suspender os preparativos para um acordo com a União Europeia, e agravou-se em finais de janeiro, quando se registaram as primeiras mortes, com a aprovação de leis limitando a liberdade de manifestação.

O balanço oficial da violência dos últimos dias é de cerca de 80 mortos, embora a oposição fale em mais de 100.

Ianukovich foi destituído no sábado pelo Parlamento ucraniano e Olexandre Tourtchinov, apoiante de Timochenko, é o Presidente interino da Ucrânia.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG