Detido suspeito do atentado no Museu Judaico em Bruxelas

Um homem suspeito de ter causado a morte de quatro pessoas no ataque perpetrado no Museu Judaico de Bruxelas a 24 de maio foi detido na sexta-feira em Marselha, sul de França, informam hoje os media locais.

A informação foi confirmada pela justiça belga à agência France Presse: "Posso confirmar a detenção do possível autor dos factos", afirmou o porta-voz do Ministério Público.

O procurador federal tem prevista uma conferência de imprensa para as 15:00 (13:00 TMG), em Bruxelas, para dar informações sobre a detenção.

O detido, um francês de 29 anos originário de Roubaix (Norte), transportava uma arma Kalashnikov e um revolver do mesmo tipo que foi utilizado na capital belga e foi preso sob a acusação de homicídio e tentativa de homicídio, indicaram fontes judiciais citadas pela imprensa local, segundo a agência EFE.

O suspeito foi detido na estação de autocarros Saint-Charles de Marselha e estava referenciado pela Direção Geral de Segurança Interna, que suspeitava que em 2013 se deslocou à Síria para participar na "Jihad" (guerra santa).

O detido encontrava-se num autocarro procedente de Amesterdão e entre a bagagem trazia também munições, uma pequena câmara de tipo GoPro e uma boina parecida com a que usava o autor do ataque, de acordo com as imagens captadas na altura.

A detenção ocorreu na sexta-feira ao meio-dia.

AH // VM

Mais Notícias

Outras Notícias GMG