Deputados neonazis culpados por serem de grupo criminoso

Quatro deputados do partido neonazi grego Aurora Dourada foram hoje considerados culpados de "constituição e pertença a uma organização criminosa" e um deles, Yannis Lagos, foi colocado em prisão preventiva, informou fonte judicial.

Após uma maratona de mais de 14 horas de depoimentos perante um juiz de instrução em Atenas, três arguidos ficaram em liberdade condicional, mas proibidos de sair do país.

Yannis Lagos é suspeito de implicação na morte do músico antifascista Pavlos Fyssas, assassinado por um membro do partido a 18 de setembro perto de Atenas.

O caso abalou a Grécia e levou as autoridades judiciais e policiais a levar a cabo uma vasta ofensiva contra o Aurora Dourada, que nos últimos anos multiplicou os ataques contra imigrantes e militantes de esquerda.

A justiça aplicou a Ilias Kassidiaris, suspeito de ser responsável pelo treino paramilitar dos militantes do partido, uma caução de 50.000 euros.

No total, seis dos 18 deputados do partido foram detidos no fim de semana passado numa vasta operação da polícia antiterrorista, entre os quais o dirigente do Aurora Dourada Nikos Michaloliakos e o seu adjunto Christos Pappas, colocados sob custódia da polícia e que devem depor hoje à tarde e na quinta-feira, respetivamente.

Mais de 15 outros membros do partido foram detidos nos últimos dias, entre os quais quatro polícias.

O Aurora Dourada, que tem sabido aproveitar a grave crise económica grega para ganhar popularidade, entrou pela primeira vez no parlamento nas eleições de junho de 2012, conquistando 18 dos 300 assentos da assembleia.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG