Caso Strauss-Kahn deve chegar ao fim no dia 10

Uma audiência a 10 de dezembro no tribunal do Bronx, em Nova Iorque, para finalizar um acordo entre Dominque Strauss-Kahn e Nafissatou Diallo, a empregada de hotel que o acusou de violação em maio de 2011, deve pôr um ponto final numa saga judicial de 18 meses.

"Se houver acordo será anunciado nesse dia", explicou à AFP o juiz Douglas McKeon, que explicou ainda que a audiência contará com a presença de Nafissatou Diallo, mas não com a do ex-diretor do Fundo Monetário Internacional.

Em caso de acordo, chegará ao fim o processo interposto no civil pela empregada do Sofitel a 8 de agosto de 2011 depois de o juiz ter anulado o processo penal por pôr em causa a sua credibilidade. Diallo, de 33 anos, acusa DSK de a ter violado a 14 de maio de 2011 na sua suite do Sofitel em Nova Iorque. O ex-ministro francês, de 63 anos, admitiu ter havido uma relação "imprópria", mas rejeitou a violação.

O escândalo custou a DSK não só o cargo de diretor do FMI, mas também as suas ambições presidenciais em França. Já para não falar do casamento com a jornalista Anne Sinclair, que, depois de ter ficado ao lado do marido num primeiro momento, acabou por se separar dele após o regresso a França.

O valor do acordo deverá manter-se confidencial, depois de o advogado de DSK William Taylor ter vindo desmentir a notícia do 'Le Monde' segundo a qual o político francês estaria disposto a pagar seis milhões de dólares a Diallo.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG