Casinos só na Internet e na clandestinidade

Vinte anos depois de a União Soviética ter autorizado a abertura do primeiro casino, a Rússia encerra hoje as casas de jogos em todo o país, atirando os jogadores para os casinos virtuais ou clandestinos.

A 01 de Janeiro de 2007 entrou em vigor na Rússia uma lei que ordenou o encerramento dos casinos situados fora de quatro "zonas especiais de jogo" até 01 de Julho de 2009, mas as autoridades não cumpriram a segunda parte da lei, a criação efectiva das zonas especiais para a operação de casinos.

No papel as "zonas especiais de jogo" foram criadas no extremo oriente russo e na região das montanhas Altai, na fronteira com a China; no distrito de Kalininegrado, enclave russo no Báltico e na fronteira entre os distritos de Krasnodar e Rostov no Don, no sul do país, mas nada foi feito para construir aí novos casinos.

Em Moscovo, 29 casinos e 486 salas de jogo fecham hoje as portas e segundo os proprietários dos casinos russos, a lei lançou para o desemprego cerca de 350 mil trabalhadores, numa altura em que a falta de emprego é cada vez mais aguda na Rússia.

O Ministério das Finanças da Rússia reconheceu que em 2008 os "jogos de azar" geraram receitas fiscais no valor de 26,4 mil milhões de rublos (cerca de 400 milhões de euros).

A fim de fazer cumprir a lei, as autoridades russas concentraram tropas especiais do Ministério do Interior nas grandes cidades, onde se encontra o maior número de casinos e salas de máquinas.

Mas os gerentes dos casinos não têm dúvidas de que os jogos de azar, que fazem movimentar anualmente mais de três mil milhões de euros, não desaparecerão, mas apenas se adaptarão à nova situação.

Parte significativa dos jogadores passarão a jogar na Internet e algumas das casas de jogo foram transformadas em "clubes de poker", que não são proibidos pela nova lei. Além disso, muitas das máquinas de jogo foram adaptadas para a venda de bilhetes de lotaria.

As empresas que mantinham casinos e salas de jogo não tencionam mudar para as "zonas especiais", pois a criação de novos locais requer grandes investimentos, mas admitem mudar-se para países vizinhos da Rússia, onde as leis do jogo são mais liberais.

A Moldávia, Roménia, Bulgária e Montenegro poderão ser alguns dos países para onde poderão mudar-se os descendentes das personagens do famoso romance "O Jogador", de Fiodor Dostoevski.

No séc. XIX, o grande escritor russo, viciado no jogo, ia fazer apostas para os casinos da Alemanha, pois os jogos de azar eram proibidos no seu país.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG