Breivik é inimputável e não pode ser condenado

Os especialistas psiquiátricos encarregados de se pronunciarem sobre a responsabilidade penal de Anders Behring Breivik concluíram que o autor dos ataques de 22 de Julho na Noruega era psicótico e, portanto, inimputável, anunciou hoje a procuradoria norueguesa.

O extremista de direita desenvolveu ao longo do tempo uma "esquizofrenia paranóide", declarou numa conferência de imprensa o procurador Svein Holden, citando as conclusões de um relatório entregue hoje por dois especialistas psiquiátricos.

Declarado inimputável pelos psiquiatras, Anders Behring Breivik poderá ser internado num estabelecimento psiquiátrico, mas escapará à prisão, indicou a procuradoria.

"Se a conclusão final é que Behring Breivik é irresponsável, pediremos ao tribunal para que receba tratamento mental obrigatório", declarou a procuradora Inga Bejer Engh, precisando que o tratamento poderá ser "para o resto da vida".

Estas conclusões tinham esta manhã sido avançadas por um jornal norueguês, que noticiara que os psiquiatras consideraram que o autor confesso dos ataques de 22 de Julho na Noruega não estava na posse das suas faculdades no momento dos factos.

"Os psiquiatras designados pela justiça [para se pronunciarem sobre a responsabilidade penal] concluíram que Anders Behring Breivik estava doente quando matou 77 pessoas", escreveu o jornal.

No entanto, a última palavra sobre a responsabilidade penal de Breivik cabe ao tribunal. Só que este geralmente segue as recomendações dos especialistas.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG