Batido recorde de mergulho gelado no "Loch Ness russo"

Investigadores russos anunciaram hoje terem estabelecido um recorde ao realizarem um mergulho no lago Labynkyr, na época mais fria do ano de uma das regiões mais frias do mundo, no extremo nordeste da Sibéria.

O mergulho, com escafandro autónomo, de cerca de 23 minutos, foi realizado por uma equipa de 10 elementos com temperaturas exteriores de cerca de 45 graus celsius negativos e com a temperatura da água nos dois graus celsius, anunciaram em comunicado as autoridades da região da Iakutia, citadas pela televisão pública russa.

"Foi estabelecido um recorde mundial. Pela primeira vez na história, o homem mergulhou no lugar mais rude do planeta, na época mais fria do ano", diz o comunicado.

O lago Labynkyr, que tem uma profundidade média de 53 metros, situa-se perto da aldeia de Oimiakon, onde nos anos 1920 foi registada a temperatura de 71 graus celsius negativos.

A Sociedade Geográfica da Rússia (SGR), que organizou a expedição científica ao lago, anunciou ter já iniciado procedimentos para que o mergulho recorde seja inscrito no livro Guinness como "primeiro mergulho durante o inverno em águas naturais num polo de frio".

A SGR anunciou também que para além do recorde, o mergulho permitiu recolher amostras e dados sobre a flora e a fauna do lago, cuja água, apesar das temperaturas exteriores extremamente baixas, congela a um ritmo muito lento, por motivos ainda desconhecidos dos cientistas.

O lago Labynkyr é também conhecido como o "Loch Ness russo" devido a informações de uma expedição da época da antiga União Soviética que referiam a existência de uma criatura desconhecida.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG