Anders Behring Breivik estava psicótico e deve escapar à prisão

O autor dos ataques de 22 de Julho na Noruega, Anders Behring Breivik, estava psicótico no momento dos factos e deve escapar à prisão, anunciou hoje a procuradoria norueguesa, citando as conclusões de um relatório de especialistas psiquiátricos.

De acordo com o relatório entregue hoje ao tribunal de Oslo, o extremista de direita, que matou 77 pessoas há quatro meses, desenvolveu ao longo do tempo "uma esquizofrenia paranóide", um diagnóstico que, se confirmado, levará ao seu internamento num estabelecimento psiquiátrico. "Os especialistas descreveram uma pessoa que se encontra num universo ilusório onde todos os seus pensamentos e ações são regidos por ilusões", declarou o procurador Svein Holden numa conferência de imprensa.

Neste retrato delirante, Holden apontou "ilusões de grandeza" em nome das quais Breivik pensava poder decidir "quem pode viver e quem pode morrer". Considerando-se "o cavaleiro mais perfeito desde a Segunda Guerra Mundial", o extremista declarou ter realizado as "execuções (...) por amor ao seu povo". Hostil ao Islão e ao multiculturalismo na Europa, Breivik fez explodir uma bomba perto da sede do governo norueguês a 22 de julho.

Depois, disfarçado de polícia, disparou durante perto de uma hora e meia contra jovens que participavam num encontro de trabalhistas na ilha de Utoeya, cerca de 40 quilómetros a noroeste da capital norueguesa. A última palavra sobre a responsabilidade penal de Breivik cabe ao tribunal que geralmente segue as recomendações dos especialistas.

"Se a conclusão final for que Behring Breivik é irresponsável, pediremos ao tribunal para que receba tratamento mental obrigatório", declarou a procuradora Inga Bejer Engh, precisando que o tratamento poderá ser "para o resto da vida". O julgamento deve iniciar-se como previsto a 16 de abril de 2012 e deverá durar 10 semanas.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG