Andar de cadeira de rodas com álcool dá processo

Um homem de mobilidade muito reduzida enfrenta um possível processo por ter sido apanhado com excesso de álcool quando voltava a casa de cadeira de rodas.

Thorgeir Benjaminsen, 20 anos, doente com distrofia muscular, vinha de uma noite de copos na sua cadeira de rodas elétrica quando foi intecetado pelas autoridades a circular na estrada.

A polícia suspeitou de que estaria embriagado, algo que ele admite, e que teria roubado a viatura. O jovem explica, citado pela France Press, que costuma circular no passeio mas que, como tinha nevado, optou por circular na estrada, que estava limpa de neve.

O estudante foi levado para o hospital, onde fez um teste de alcoolemia, e depois para casa. A cadeira de rodas, cuja velocidade não excede os 10 quilómetros/hora, foi-lhe confiscada.

Só quatro dias depois, o jovem recuperou a cadeira de rodas, tendo-lhe sido retirada a acusação de roubo. No entanto, a polícia ainda não decidiu se retirará a acusação por condução (da cadeira de rodas) com excesso de álcool. "Trata-se de um veículo motorizado", alega Tove Melseter, responsável da polícia de Molde. "Poderia ter tido consequência desagradáveis para ele próprio e para outros", acrescenta à France Press.

A Associação norueguesa de Pessoas com Deficiência, ouvida pelo jornal local "Verdens Gang", defende que este procedimento não cumpre a lei.

Mais Notícias

Outras Notícias GMG